o padre não diz coisa com coisa

Dia 13.

O padre não diz coisa com coisa. Ou não se percebe o que está a dizer. Está de costas viradas para o púlpito, de frente para o retábulo. Ao longo da extensa nave, reverberam apenas sibilos de uma voz apagada.
Faz-me lembrar as cobras. Ainda gostava de saber por onde defecam. Li algures que algumas só têm um pulmão. É difícil distinguir o macho da fêmea. Também não é que seja coisa que se pense quando se vê uma: querer saber o sexo das cobras, como se fizesse alguma diferença. Sucede o mesmo com os caracóis. São hermafroditas, mas ninguém se põe a matutar nisso. O que interessa é comê-los.

aqui todos dormem de dia

Dia 12.

Aqui todos dormem de dia. Ou tentam. Porque é à noite que o complexo acorda. Faz sentido. Vivemos na Grande Noite.
Houve hoje um incidente. Apareceu no corredor um estranho macho de olhos esbugalhados. Pele gretada e chamuscada. Não faço ideia do que lhe terá acontecido para ficar assim tão escuro.

a luz do sol é tão intensa que se tornou insuportável

Dia 10.

A luz do sol é tão intensa que se tornou insuportável. O Ministro explicou que o perigo reside no excesso da radiação electromagnética. Nada percebo sobre os mistérios do olho humano. Mas sei que há cegos. Muitos. Que perdem a vista por desafiar a ordem. A íris falha e a retina entra em combustão.
Os renegados dizem que é mentira: quem lhes queimou os olhos foram os algozes. Mas devemos acreditar nos cegos, que olham e não vêem?

deixámos de questionar o que aconteceu ou o que acontece

Dia 9.

Deixámos de questionar o que aconteceu ou o que acontece. Apenas perguntamos o que é preciso fazer. Ao contrário do que sucedia dantes, nos tempos em que a certeza não era mais do que uma certeza entre muitas outras, hoje em dia a certeza é una e indivisível; rejeita toda e qualquer partilha.
O padre bem o diz. Quando se lhe percebe a voz. E as palavras. Citando um dos apóstolos. João, ao que parece. O mundo está a passar, e assim também o seu desejo, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.

as vestes do padre estão-lhe largas

Dia 6.

As vestes do padre estão-lhe largas.
Emagreceu bastante nestes últimos meses. Há pessoas assim. Mesmo a morrer de fome, jamais comeriam uma cobra. Mas a carne é saborosa. Assada, guisada ou só mesmo cozida. É como o rato frito. Tem-se é que limpar bem e pôr a marinar.

hoje vi os algozes a trazer mais um

Dia 4.

Hoje vi os algozes a trazer mais um. Dói-lhes a boca de tanto rir. Bem tento cuspir. Mas tenho dois ratos mortos a boiar na água da sanita.

arranquei três folhas do livro e comi-as

Dia 3.

Arranquei três folhas do livro e comi-as. Por sorte, não sujei o estômago.
Mas tenho a boca com sabor a gordura. Trincava mais qualquer coisa. Paciência. Acabou-se o papel.